A alimentação do cão

quinta-feira, julho 10, 2014 Ariadne 0 Comments

Uma alimentação correcta é a base de uma boa saúde, quer humana, quer animal. O aconselhamento do alimento mais adequado para cada animal é também uma função importante da farmácia.
Na atualidade, o tipo de alimentação mais utilizado é a comercial. A indústria dos alimentos para animais está bastante desenvolvida e bem assente em fundamentos técnicos e científicos. A facilidade de aquisição, conveniência, custo, composição e qualidade, tornam os alimentos comerciais uma alternativa bastante mais viável do que os alimentos caseiros.
Uma dieta é equilibrada quando a quantidade de alimento ingerida diariamente satisfaz as necessidades nutricionais dos animais.
As necessidades nutricionais variam de acordo com a idade, raça, nível de actividade, estado reprodutivo (gestação, lactação), ambiente e estado de saúde.
Podem ser adoptados três tipos de regime alimentar nos cães:
  • Alimentação ad libitum, na qual o cão tem alimento permanentemente à disposição.
  • Alimentação em tempo controlado, na qual o alimento é disponibilizado durante um determinado período de tempo.
  • Alimentação em dose controlada, na qual o alimento é disponibilizado em doses pré-definidas e em tempo controlado. Por exemplo, um cão adulto faz duas refeições por dia, de manhã e à noite, com a quantidade indicada para o seu peso, tendo 15 minutos disponíveis para fazer a refeição.
Qualquer um destes regimes tem vantagens e desvantagens, no entanto o 3º é o mais defendido pela classe veterinária, pois permite maior controlo nutricional e comportamental da alimentação do animal.

 

Cachorros 
Deverão fazer 3 a 5 refeições diárias, com pequenas quantidades do alimento indicado para o seu peso e faixa etária. Os alimentos comerciais da gama “Puppy” têm elevado índice de energia metabolizável e grande teor proteico. São adequados até à idade adulta (na maior parte das raças: 12 meses de vida).








Adultos
O indicado são 2 refeições diárias. Recomenda-se um alimento de manutenção até cerca dos 8 anos. Os animais esterilizados têm necessidades nutricionais diferentes, privilegiando-se os alimentos com restrição calórica.








Fêmeas gestantes e em lactação 
Nestas fases a recomendação passa por uma alimentação ad libitum. Dado o aumento no metabolismo, o alimento privilegiado, para esta fase, é aquele que conseguir suprir as necessidades de proteína e energia. O alimento de cachorro é o mais adequado, e servirá também de alimento para as crias, na fase do desmame.






Séniores
A partir dos 8 anos, o alimento deverá ser alterado para aquele que contribua para a prevenção da patologia renal e cardíaca. Os alimentos formulados para os cães séniores têm normalmente restrição em sódio e proteína seleccionada.
A oferta diária de guloseimas e snacks é desaconselhada, uma vez que desequilibra a alimentação do animal. Estes alimentos são complementares e deverão estar reservados para episódios em que é necessário premiar ou reforçar positivamente o cão.

0 comentários :

Partilhem a vossa história comigo. Todos os comentários serão respondidos nesta página, por isso toca de selecionar a opção "Notificar-me" no cantinho direito ;)