Aulas de equitação

sábado, novembro 01, 2014 Ariadne 0 Comments

Já tive mais três aulas desde a última vez que aqui escrevi sobre as minhas aulas de equitação. Esta última foi simplesmente fantástica!! Ainda não parei de sorrir e já passaram algumas horas.

Desde o primeiro dia que tenho montado a mesma égua, mas há duas semanas o instrutor colocou-me noutra, mais pequena. A ideia dele era ver se eu saltava menos na manta (não faço aulas em sela), mas acontece que tinha menos estabilidade naquela égua que na habitual. Esta égua tinha um galope diferente, por ser mais pequena/larga parecia-me não estar em equilíbrio, e não ajudava o facto de ainda ter algum do medo que criei nas últimas aulas.
A aula começou comigo a ir buscar, sozinha, a égua ao cercado onde estava, limpar-lhe os cascos e o pelo, pentear a crina e a rabada, passar a escova no pelo para o deixar mais brilhante e suave, e limpar os olhos e fuças. Este processo demora cerca de 40 a 60min porque eu ainda não estou inteiramente à vontade com os cavalos. O meu pai perguntou-me se eu estou a pagar para ir limpar cavalos; eu adoro estes momentos que estou com eles. É menos, aliás, não é nada glamoroso, mas o laço que se cria com eles é tão bom; além do mais, ajuda a criar confiança nos animais, a não estranhar certos movimentos das patas, do pescoço, dos cascos, e ajuda muito a ficar mais à-vontade. Aprendo sobre a sua anatomia. E além disto, eu concordo com o que me dizem lá no centro hípico: aprender a andar a cavalo, não é só aprender a montar, mas sim aprender a cuidar. Os cavalos são animais que precisam de muitos cuidados; apesar daquele tamanho todo, são deveras frágeis. Daí que seja dispendioso ter um cavalo; não é caro comprar, mas sim manter.

Na semana passada voltei para a égua habitual. Que diferença!! Depois de ter montado a égua mais pequena (mas não mais nova), sentia e sinto-me muito mais à vontade nesta. Não sei o que se passou, mas passou-me o medo. Concentrei-me imenso e dominei o medo, recuperei o equilíbrio e o à-vontade. Juro que havia momentos em que só pensava "Mexe a cintura, cintura, cintura, cintura!". Passou a ser o meu mantra para não perder o equilíbrio. Fiz galope sem me agarrar aos cilhões, fiz trote a fingir que segurava rédeas. Que sensação de felicidade e realização; sinto-a neste momento que estou a descrever algo que se passou há uma semana.
Passados os exercícios iniciais, o instrutor tirou a guia que ele utiliza para conduzir a égua, e passou-me o controlo com as rédeas.
Estive a fazer exercícios de condução a passo, ou seja, aquele andar calmo. Já o tinha dito e volto a dizer: não é fácil conduzir um cavalo. Temos de segurar as rédeas de forma firme, mas suavemente, como um passarinho - se apertarmos de mais, o passarinho morre, e eu já matei o passarinho muitas vezes. Tentámos fazer trote enquanto conduzia a égua; meti-a em galope umas quantas vezes sem querer, assustei-me num ou outro momento, perdi o equilíbrio uma série de vezes. No geral correu bem. Não vou ter tabus: cheguei a casa completamente assada na pélvis! Durante os movimentos de cintura para manter a égua em movimento e para me manter em equilíbrio fiz muita fricção na manta, chegando mesmo a fazer um pouco de sangue. Estive dorida durante uns dois, três dias, quando geralmente fico apenas um.

Hoje tive outra aula. Mas isto fica para mais tarde, que este post já vai muito grande.

0 comentários :

Partilhem a vossa história comigo. Todos os comentários serão respondidos nesta página, por isso toca de selecionar a opção "Notificar-me" no cantinho direito ;)