A urgência de viver

sábado, janeiro 10, 2015 Ariadne 3 Comments

Tenho um sério problema: tenho uma urgência de viver, uma pressa em estar, em fazer acontecer, uma impaciência quando algo só vai mostrar frutos mais tarde.

Por ter uma grande sensação de mortalidade, quero que as coisas que me dão prazer aconteçam logo, não consigo esperar e isso já deu azo a algumas discussões, especialmente com o D* (e com muita razão da parte dele). Por exemplo, nas alturas em que ele tem mais trabalho com a faculdade e com o trabalho, não conseguimos estar tantas vezes junots; seria apenas questão de esperar uns dias, nem uma semana, para essa fase acabar e podermo-nos ver mais vezes. Mas não, é um martírio, porque uma semana parece-me imenso tempo, e que algo pode acontecer nos entretantos e não aproveitámos o tempo que ainda tínhamos.
É um pensamento extremista e mórbido, eu sei, e estou seriamente a tentar controlar-me. Sofro muito por antecipação, em vez de relaxar e não stressar tanto com algo que, na realidade, não é um problema. Só que esta urgência de viver, este sentimento que me faz pensar que uma semana é muito tempo perdido, faz mal, a mim e aos outros que me aturam. 
Esta próxima semana vai ser assim: eu vou estar de férias e sem ocupação, e ele vai estar super ocupado, a tentar alcançar, e muito bem, um dos seus objetivos. Desta vez vou fazer os máximos para não sofrer por antecipação e pensar que uma semana é só isso mesmo, uma semana; o mundo não vai acabar entretanto (se tudo correr como planeado, e vocês sabem que eu sou uma control-freak!) e depois teremos mais do que tempo. 

A minha mãe diz que, até nos momentos de lazer, eu tenho stress e, apesar de eu não sentir stress per si, é verdade. Como tenho tão pouco tempo livre, quero fazer tudo e mais alguma coisa e se possível ao mesmo tempo. O melhor exemplo: tenho o computador da minha mãe ligado à televisão a passar um filme, enquanto estou no meu computador a fazer outras coisas ou a jogar sims (isto é muito raro) e ainda vou ao tablet ver outras tantas!
Quantas não são as vezes que estou num sítio, a divertir-me, mas estou a pensar noutras coisas que também poderia estar a fazer para me divertir. 
Tenho mesmo de desacelerar e, principalmente, desligar o cérebro!! Talvez este deva ser o ano em que aprenda a sério a meditar para aprender a focar, a concentrar no que está a acontecer no momento. Por vezes consigo ser muito hipócrita com os meus amigos, porque estou sempre a dizer-lhes para não se preocuparem com o que têm para fazer amanhã se não há nada que possam fazer hoje e para aproveitarem o que está a acontecer, quando na realidade eu também tenho a mente muito dispersa!...

Um conselho para mim mesma: chill girl

INSTAGRAM     |     BLOGGING.PT     |     BLOGLOVIN

3 comentários :

  1. Também já fui assim. Mas sê mais calma, um dia de cada vez.

    ResponderEliminar
  2. Opá nunca me revi tanto num post... Sou exatamente assim.
    Tenho tanta urgência em viver que durante muito tempo não dormia quase nada para poder aproveitar ao máximo :/
    Tenho muito muito medo de morrer e mais... da forma como posso morrer...
    Ai santo... Nem gosto de pensar.. :/
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  3. Como te percebo, também sofro por antecipação, penso demasiado nas coisas, então para desligar o cérebro para dormir às vezes é difícil. Há que tentar relaxar um pouco, faz falta :)
    Beijinho*

    ResponderEliminar

Partilhem a vossa história comigo. Todos os comentários serão respondidos nesta página, por isso toca de selecionar a opção "Notificar-me" no cantinho direito ;)