Sair à noite

quinta-feira, janeiro 15, 2015 Ariadne 1 Comments

Não entro num bar há, no mínimo dos mínimos, uns bons oito/nove meses (ia escrever um ano, mas lembrei-me que entrei num, ainda era inverno 13/14, por ocasião de um aniversário). Vou, muuuuito esporadicamente, a lounges, mas a um bar de ouvir música, dançar, quem sabe beber um shot, não ponho os pés há mesmo imenso tempo. 

Não gosto. Não gosto da música ruidosa, não gosto do ambiente geral de bebedeira, não gosto que se tenha aquela mentalidade de que só se consegue dançar depois de beber um shot ou outro (vá, talvez cinco ou seis, dependendo do grau de álcool da bebida), não gosto do fumo do tabaco (mesmo em bares para não fumadores) nem de ver o cigarro demasiado perto de mim, não gosto que só esteja música boa para dançar a partir da 1h da manhã, não gosto de acordar na manhã seguinte completamente de rastos por não ter conseguido dormir bem, não gosto que se tenha de estar sempre desconfiado com casacos e malas, não gosto que não se consiga conversar, não gosto que me estejam a gritar aos ouvidos, não gosto dos encontrões, não gosto da possibilidade de ser apalpada (aconteceu da última vez e dei-lhe um soco na barriga; tenho pena que não tenha sido com força suficiente para a pessoa bêbeda se aperceber...), não gosto do preço exagerado das bebidas.

No entanto, de vez em quando muito raramente, até tenho vontade de ir dançar, mas, principalmente, tenho vontade de ser aquela pessoa que gosta de festas, gosta de sair, de dançar, de beber um copo ou outro, de sentir aquela espécie de felicidade que aquele tipo de pessoas parece sentir. Gostava de gostar mais de sair à noite, mas não consigo. Por vezes, quando o D* tem muita vontade (ou porque é o aniversário de alguém ou porque se esteve num jantar e depois apetece-lhes continuar a noite), faço um esforço e vou; a maior parte das vezes divirto-me, só que começo a ficar com sono e aborrecida e fico chateada comigo própria e só penso em ir dormir. Gosto de saber com um mínimo de um dia de antecedência que aquela noite é para sair; assim tenho tempo para me preparar tanto física como mentalmente. Preparo uma roupa espetacular, com super produção de maquilhagem para me sentir bombástica e pessoa que adora ir para festas, adora bares e discotecas; durante o dia, tento descansar o mais possível e, o melhor amigo destas noites: o café! E depois sim, divirto-me; é preciso mentalizar que aquela noite é para sair, mas de vez em quando é bom para variar e acaba por ser divertido.

O D* não me obriga; ainda na outro noite ele teve um jantar com o pessoal do trabalho, eu fui ter com eles aos restaurante e quando saíram de lá foram diretos aos bares. Eu tinha acordado muito cedo porque entrei no trabalho às 8h e não fui com eles; gostaria, porque eu e o D* não temos uma noite de bares há imenso tempo (há qualquer coisinha ótima no dançar juntinhos num bar, if you know what I mean...), mas tanto ele como eu sabíamos que eu não ia aguentar, nem ele pediu que eu fosse (super compreensivo) nem eu disse que ia, nem que fosse um bocadinho. Já sabia que depois não ia ficar nem uma hora e ia estar com ar cansado e fatigado e, pior, impertinente (sou uma criança autêntica quando tenho muito sono). 

Não me importo nada de ficar sem ir a bares ruidosos; prefiro mil vezes um lounge, em que se pode estar relaxado a beber um cocktail (não pode ser sempre que são caríssimos!), conversar, não estar aos gritos, música de fundo (dependendo do bar até pode ser música ao vivo). Não é preciso ficar acordadíssimo até tarde para começar a verdadeira diversão.

A culpa nisto também está na mentalidade dos portugueses. Eh pah, que confusão me faz! Eu juro que gostaria muito mais de sair à noite se tudo o que implica ir para um bar e ter uma noite de diversão fosse mais cedo, como se verifica nos EUA, no UK e, como vi em primeira mão, na Irlanda. Eram 20h e eu e a minha irmã fomos até um pub; estava apinhado de gente e ainda havia luz na rua! Não é uma questão de serem uns bêbados e irem cedo para a bebida; eles começam mesmo cedo a noite - sair, beber uns copos, dançar e divertir - porque acordam cedo também. Divertem-se e descansam o suficiente para não andarem como zombies durante o dia seguinte! Isto faz muuuuito mais sentido! Agora, a noite só é boa a partir da 1h?! Poupem-me!! Não admira que a produtividade não seja grande neste país; as prioridades estão todas trocadas!

Mas uma coisa é certa e está um pouco no fundo desta questão toda: sou uma pessoa muito séria e tenho alguma dificuldade em descontrair e divertir-me em certos momentos; também não ajuda não ser grande fã de álcool (isto fica para um outro post). Eu divirto-me, mas sinto que falta qualquer coisa, uma espontaneidade... E isto não está relacionado com o sair à noite, porque não tem mal nenhum não gostar. Nem toda a gente tem os mesmos gostos e eu aceito-me como sou.

INSTAGRAM     |     BLOGGING.PT     |     BLOGLOVIN

1 comentário :

  1. E pronto... Mais um ponto que temos semelhante! Muito semelhante.
    CREDO! Até faz impressão perceber que somos tão parecidas :)
    Sim, eu também prefiro ir a um bar calminho, estar sentada a conversar e a gargalhar do que ir para o puntz puntz como chamo.

    Beijinho*

    ResponderEliminar

Partilhem a vossa história comigo. Todos os comentários serão respondidos nesta página, por isso toca de selecionar a opção "Notificar-me" no cantinho direito ;)