Oito truques para nos preocuparmos menos

quarta-feira, março 18, 2015 Ariadne 3 Comments

Li este artigo num blog do blog da Camille Styles: "8 WAYS TO WORRY LESS".
Ela escreve, e eu concordo, que as mulheres preocupam-se de forma natural e estão sempre preocupadas, nem que seja com coisinhas pequenas.
Traduzi os truques que ela sugere para nos preocuparmos menos e para gerir e canalizar melhor essa preocupação.

I. Preocupar de forma construtiva
Isto já faço; significa que não nos devemos preocupar com coisas que estão fora do nosso controlo.

II. Encontrar uma escapatória
Parar de reprimir o que nos preocupa e arranjar uma forma de o libertar: escrever num diário, num blog, falar com um psicólogo ou pessoa amiga.

III. Escrever a preocupação
Identificar e clarificar o que nos preocupa. Muitas vezes a preocupação advém daquela sensação de que temos imensas coisas para fazer e acontecer, e escrevê-las num papel e organizar as tarefas é uma forma de libertar o cérebro da sensação de assoberbo.

IV. Determinar o que realmente queremos
Quantas não são as vezes que a preocupação é sobre algo que nos é desagradável ou sobre um resultado de algo, ou seja, é muito mais fácil descrever o que nos assusta, do que dizer o que na realidade queremos. Escrever o que queremos e lermos e relermos de cada vez que nos preocupa, diminui a expetativa negativa.

V. Pensamentos positivos em vez de negativos
Em linha com o ponto anterior, é muito mais fácil fugir para o negativo, do que pensar que talvez vá tudo correr bem. É um pouco como Fake it until you make it; pensar positivo, mesmo forçosamente, vai fazer com que, a certa altura, o pensamento fuja para o lado positivo em vez do negativo quando surgir um novo problema ou obstáculo.

VI. Pergunta-te o que está, se na realidade algo está, sob o teu controlo
Este para mim é difícil. Basicamente, é aceitar que certas coisas estão fora do nosso controlo, que são uma questão de tempo, destino, coincidência e ação de outras pessoas, e que nós não precisamos estar no comando a todo o instante. A maior parte das coisas com que as pessoas se preocupam são coisas que não se podem mudar, eventos futuros e coisas que estão fora do controlo dessa pessoa.

VII. Faz o que podes, depois segue caminho
Portanto: analisar o problema, ver se se pode fazer algo para aliviar a situação e depois, seguir caminho. Perdurar naquela preocupação quando já se fez o que podia só vai trazer ainda mais stress. É importante olhar em redor e ver o que temos e darmos graças por isso. 

VIII. Largar o vício
Preocupar é um hábito muito intrínseco, podendo mesmo tornar-se viciante. Os hábitos podem ser alterados, não do dia para a noite, mas após nos termos preocupado de forma construtiva, levando a um resultado positivo, podemos largar a preocupação até ser necessário voltar a ela. É importante encontrar algo em que nos possamos focar após termos pensado sobre aquela preocupação. Se a mente volta à preocupação, temos de forçá-la noutra direção, uma e outra vez. A mente é como um músculo ou um cão: tem de ser treinada e domada.

INSTAGRAM     |     BLOGLOVIN

3 comentários :

  1. Gostei do teu cantinho, boa semana :)

    http://trapeziovermelho.blogspot.pt

    ResponderEliminar

Partilhem a vossa história comigo. Todos os comentários serão respondidos nesta página, por isso toca de selecionar a opção "Notificar-me" no cantinho direito ;)