5 estratégicas para cuidar dos ossos após os 50 anos

quarta-feira, abril 15, 2015 Ariadne 1 Comments

Eu sei que os meus leitores ainda não sofrem deste problema que vem com a idade, especialmente nas mulheres que já estão na menopausa, mas certamente têm mães, avós, tias, conhecidas que poderão ter ou vir a desenvolver osteoporose e eu espero que este post seja útil não só para quem sofre, mas para quem quer ajudar.

O QUE É A OSTEOPOROSE?
A osteoporose é uma doença na qual os ossos ficam mais frágeis e quebradiços, levando a um aumento no risco de fraturas. As pessoas com osteoporose podem sofrer uma fratura, resultante de uma pequena pancada ou queda, durante as atividades do dia-a-dia (sim, é assim tão fácil...).
A osteoporose não apresenta sinais nem sintomas até uma fratura acontecer. Por este motivo, ela é frequentemente chamada "doença silenciosa". As fraturas causadas pela osteoporose ocorrem frequentemente em locais como o punho, o braço, a zona pélvica, a anca e a coluna e podem resultar em dor forte, incapacidade significativa e até mesmo morte.

As mulheres pós-menopáusicas correm um alto risco de desenvolver osteoporose e sofrer fraturas devido à rápida perda óssea que ocorre no início da menopausa. O pico de massa óssea ocorre em torno dos 20 anos na mulher. A partir daí, a massa óssea sofre pouca variação até à menopausa, que acontece por volta dos 45 anos.
O estrogénio desempenha um papel vital na regulação do processo de renovação óssea durante toda a vida. O esqueleto está em constante renovação a cada dia; os ossos são formados por cálcio, proteínas e células. Com a chegada da menopausa, as mulheres passam a apresentar deficiência de estrogénio; com a falta de estrogénio, a reabsorção do osso 'velho' passa a superar a formação de osso 'novo'. 

O risco de desenvolver osteoporose e fraturas por fragilidade é determinado por diversos fatores; os fatores modificáveis incluem atividade física, alimentação, alcoolismo e tabagismo, enquanto os fatores que não podem ser alterados correspondem muitas vezes à predisposição genética, à idade da menopausa e à existência de algumas doenças. 

5 ESTRATÉGIAS FUNDAMENTAIS
1) Fazer exercício regularmente
Exercícios de resistência tornam-se muito importantes com o avançar da idade; há provas de que o exercício pode levar a aumentos na densidade mineral óssea da ordem de 1% a 2%. Os programas de exercício devem ser adaptados às necessidades e capacidade individual.

2) Manter uma dieta rica em nutrientes benéficos para os ossos
Uma dieta equilibrada que inclua quantidades adequadas de cálcio, vitamina D, proteínas e outros nutrientes benéficos para os ossos é fundamental para a saúde óssea. O esqueleto é uma reserva natural de cálcio e minerais que será mobilizada caso estes nutrientes não sejam ingeridos diariamente.
Cálcio - principal constituinte do esqueleto. Praticamente 99% do cálcio do corpo está localizado nos ossos, funcionando como reservatório para a manutenção do nível de cálcio no sangue, essencial para o funcionamento nervoso e muscular.
Vitamina D - produzida na pele após a exposição solar, ajuda o corpo a absorver o cálcio, regula os níveis de cálcio, garante a mineralização adequada dos ossos e ajuda a melhorar a força muscular e equilíbrio, reduzindo assim o risco de quedas.

3) Evitar hábitos de estilo de vida negativos e manter um peso saudável
Os maus hábitos que afetam a saúde geral também têm um impacto negativo sobre os ossos. Os três fatores modificáveis mais importantes são: tabagismo, consumo excessivo de álcool e o baixo índice de massa corporal (magreza).

4) Identificar os fatores de risco, mesmo os que não podem ser mudados
Fatores de risco não modificáveis: fraturas prévias por fragilidade óssea; história familiar de osteoporose e fraturas; medicamentos que afetam negativamente a saúde óssea; síndromes de má absorção; artrite reumatoide; menopausa precose; tendência a quedas.

5) Falar com o médico, fazer exames e receber tratamento, se necessário
A menopausa é definitivamente a hora de tomar uma atitude para garantir um futuro sem fraturas, e isso significa conversar com o médico sobre a saúde óssea.
Como com todos os medicamentos, os tratamentos para a osteoporose só funcionam se forem tomados corretamente. Se algum medicamento para a osteoporose for prescrito, é fundamental seguir corretamente o modo de administração para que sejam alcançados os benefícios esperados sobre a densidade mineral óssea e a redução do risco de fraturas.

ariadneminos.blog@gmail.com

INSTAGRAM     |     BLOGLOVIN

1 comentário :

  1. Olá olá :) Bem sabia que tinha lido à pouco tempo uma blogger que leio falar do assunto, afinal cá estás tu :p
    Bem, já marque consulta com o médico de família para 8 de Maio... Questão: tem-se periodo normalmente? De mês a mês? Ou é diferente... E colocar o implante... Dói? É com anestesia? Ai sou tão maricas que o que mais me deixa de pé atrás é a colocação... E ao fim de três anos... Retiram?

    Beijinho**

    ResponderEliminar

Partilhem a vossa história comigo. Todos os comentários serão respondidos nesta página, por isso toca de selecionar a opção "Notificar-me" no cantinho direito ;)