Distúrbios de uma mente feminina

domingo, abril 19, 2015 Ariadne 1 Comments

Não sei o que se anda a passar comigo, mas ando com más energias interiores. Não ando infeliz, mas também não ando feliz; não é exatamente satisfação que sinto, mas posso dizer que estou bem, tenho saúde, amor e outras bênçãos. No entanto, sinto que não estou bem interiormente. Irrito-me com qualquer coisa que me digam, estou pronta para começar uma discussão, não consigo socializar em certas ocasiões, sinto-me deslocada no meio daqueles que me são tão familiares, não estou bem/satisfeita em lugar nenhum, quero algo mas não sei o quê... Tudo isto são regalias de ser mulher; se eu tivesse período menstrual (tem a ver com o implante contracetivo), diria que estou com TPM, mas estou com falta de me reconetar comigo própria. Eu quero traduzir em palavras aquilo que sinto, uma espécie de apatia que não é apatia, e aquilo que sinto que devo fazer para sair deste transe que não é transe, mas não consigo achar as palavras certas, porque nunca descreveriam o que sinto na realidade, porque nem eu sei bem o que quero ou o que devo fazer. Não estou perdida, nem de mal com a vida, mas preciso de estar de bem e, principalmente, preciso de mudar. Sinto que tenho de mudar a minha personalidade, vá, aspetos da minha personalidade porque eu era mais simpática do que sou agora e isso está a refletir-se muito no meu estado de espírito. Não estou contente com a pessoa que sou. Isso é ponto assente. Preciso de me sentar e escrever aquilo que quero mudar e que sei que consigo mudar, porque há aspetos na personalidade que não mudam, mas outros que podem ser melhorados, e basta uma ligeira melhoria para alterar o que sinto (ou não sinto). Um texto confuso é o que isto é, mas a mente de uma mulher nunca foi algo claro e com regras lógicas. 

INSTAGRAM     |     BLOGLOVIN

1 comentário :

  1. Há alturas da vida em que nos sentimos insatisfeitas, desconfortáveis connosco mesmas e isso é normal (pelo menos para mim é =P). Já dei por mim algumas vezes com esse sentimento, com o sentimento que não estou a ser a pessoa que quero ser, que me sinto capaz de ser ou até mesmo que sou na realidade. Parece que me desvio ligeiramente do que sou e isso traz o tal desconforto. Porque no fundo sabemos que podemos ser menos assim, deixar de ser assado, ser um pouco mais assim e que isso nos vai traz uma energia mais positiva, uma paz interior maior. É como se precisássemos de arrumar algumas coisas dentro de nós. Eu já fiz listas assim e geralmente recomeço o "trabalho de arrumação" a uma segunda-feira. =P

    ResponderEliminar

Partilhem a vossa história comigo. Todos os comentários serão respondidos nesta página, por isso toca de selecionar a opção "Notificar-me" no cantinho direito ;)