Aconteceu hoje na farmácia

quinta-feira, outubro 15, 2015 Ariadne 0 Comments

Bem sei que não costumo falar de trabalho aqui, mas hoje tive um daqueles atendimentos que nos marcam. Um senhor pediu-me analgésicos fortes porque tinha uma dor terrível no peito porque estava magoado. Permitam-me o desabafo, mas se eu só me interessasse por vender, tinha-lhe dado o paracetamol ali e estava feito, mas eu sou farmacêutica e com princípios e fiz mais umas quantas questões para tentar perceber a queixa do senhor. Aparentemente, a dor tinha aparecido há duas horas, era muito forte e apanhava-lhe um pouco do braço esquerdo; perguntei se sentia dormência no braço, respondeu que sentia os dedos. Diz que não bateu em lado nenhum e que a dor apareceu do nada. Como o senhor tinha excesso de peso, a roçar o início da obesidade, perguntei se tinha problemas cardiovasculares, ao qual também respondeu que não, e se sentia falta de ar, ao que respondeu que havia momentos em que sim. Perante o quadro de sintomas apresentado, eu fui honesta e disse-lhe que não o queria assustar, mas que poderiam ser sintomas de início de ataque cardíaco e que se deveria deslocar ao médico o mais depressa possível. Ele e o amigo disseram que iam e eu aqui estou, na expetativa de os ter mandado para o médico em vão, de perderem horas a fio por um atendimento e no fim não ser nada de grave. No entanto, consola-me saber que tive a atitude correta: mais vale perder tempo e não ser nada de importante, do que ter simplesmente dado um analgésico e o problema ser sério e ser ignorado. Não sei se vou voltar a ter notícias daquele senhor, mas gostava de saber o desfecho desta situação.

0 comentários :

Partilhem a vossa história comigo. Todos os comentários serão respondidos nesta página, por isso toca de selecionar a opção "Notificar-me" no cantinho direito ;)