Pele atópica - Parte I

segunda-feira, outubro 12, 2015 Ariadne 0 Comments



Hoje venho falar sobre pele atópica: o que é, principais sintomas e causas, tratamento possível e formas de gerir o dia a dia por forma a evitar crises. 
A Dermatite Atópica, ou Eczema, é uma reação inflamatória da pele, de evolução súbita ou crónica, que é caracterizada pelo aparecimento de lesões cutâneas pruriginosas associadas ao processo inflamatório. Esta doença ocorre tipicamente na infância e caracteristicamente possui uma evolução por surtos com períodos de remissão e exacerbação.

A gravidade da dermatite atópica varia de pessoa para pessoa e não tem cura possível, pois é determinada pela hereditariedade do indivíduo. Assim que a doença se manifeste, após o tratamento, ela poderá entrar em remissão, podendo ressurgir noutra altura da vida. 
A dermatite atópica afeta a qualidade de vida dos doentes e das suas famílias, sendo responsável por perturbações do sono dos pais e das crianças afetadas, e está associada a fraca qualidade do mesmo, bem como a depressão e ansiedade, em todos os elementos do agregado familiar. Estima-se que 1 milhão de portugueses sofra de dermatite atópica e que 20% das crianças sejam afetadas. 

Principais sinais e sintomas & Localização
I. Em primeiro a pele começa a ficar seca a muito seca.

Os atópicos têm a pele seca e áspera, em consequência de alguma incapacidade para reter a água na camada córnea da epiderme, mas também devido a uma insuficiente produção de sebo e suor.
II. Começam a surgir zonas de vermelhidão que geram comichão e levam a pessoa a coçar-se.
III. As crostas surgem no lugar das zonas de vermelhidão.
As lesões podem não ter cor, ásperas e escamosas, podendo levar à descamação.

A localização das lesões de dermatite atópica variam consoante a idade da pessoa, mas tipicamente localizam-se:
» Bebé (0 a 2 anos): rosto (sobretudo nas bochechas), couro cabeludo, mãos, braços, pés ou pernas;
» Criança (2 a 12 anos): cotovelos e joelhos, punhos e tornozelos;
» Adulto: cotovelos e joelhos, dorso das mãos e em redor dos olhos

Causas
A causa da dermatite atópica é desconhecida, contudo sabe-se que existe uma predisposição genética para o seu aparecimento, aliada a outros fatores exógenos. 
Alguns estudos indicam que existe uma correlação entre uma mutação num gene e uma falência da barreira cutânea, permitindo uma exposição anormalmente potenciada de agentes alérgicos, irritantes ou microbianos ao tecido cutâneo, levando a reações inflamatórias e ao aparecimento de prurido que agravam ainda mais a barreira cutânea. Quanto maiores as alterações à barreira cutânea, mais a dermatite atópica entra num ciclo vicioso de degradação. 
Para além dos fatores acima descritos, as mudaaanças climáticas e o estilo de vida dos países industrializados são as principais razões para o aumento da prevalência desta doença nos últimos anos. A poluição, a exposição ao tabaco, o contacto cada vez mais raro com atividades ao ar livre, são tudo fatores que despoletam a evolução da doença.

Tratamento
Existem alguns tratamentos terapêuticos e/ou dermatológicos que melhoram a sintomatologia e regridem o estadio da doença. Acima de tudo, o mais importante antes de começar qualquer tratamento é eliminar o contacto com fatores que despoletam a evolução da doença (em caso de alergias, particularmente). No entanto, se este comportamento não for suficiente, devem ser tomadas as devidas medidas.

Farmacológico
Quando a dermatite atópica está numa fase aguda em que as lesões estão particularmente exacerbadas e já não respondem a medidas não farmacológicas, torna-se fulcral a consulta de um dermatologiasta. Nestes casos é quase inevitável recorrer a medidas farmacológicas, não dispensando no então as medidas não farmacológicas. Entre as opções terapêuticas destacam-se como tratamento de primeira linha os corticóides tópicos, anti-histamínicos e os restantes somente após consulta médica.

Na próxima edição irei falar sobre o tratamento dermocosmético e as várias opções disponíveis em farmácia.

Conselhos do dermatologista
Preferir o duche ao banho de imersão, sem ultrapassar a temperatura daa água dos 32ºC/34ºC.
Secar bem a pele após o duche, sem esfregar a toalha no corpo.
Durante o duche, aplicar um produto de limpeza adaptado ao tipo de pele.
Após o duche, aplicar um cuidado de corpo emoliente adaptado ao tipo de pele.
Manter as unhas sempre bem cortadas e limpas para evitar infeções secundárias, com o ato de coçar.
Arejar todos os dias o quarto de dormir, quer no verão, quer no inverno.
Não aquecer demasiado a temperatura do quarto.
Em caso de alergia, evitar o contacto com animais domésticos.
Evitar usar roupa com tecidos sintéticos ou lãs, preferindo sempre roupa de algodão macia ao toque, o mesmo aplicando-se para a roupa de cama.

Em caso de dúvida, basta deixar comentário ou enviar-me um email para ariadneminos.blog@gmail.com.

Toca a participar no passatempo da Pharma Nord aqui.

0 comentários :

Partilhem a vossa história comigo. Todos os comentários serão respondidos nesta página, por isso toca de selecionar a opção "Notificar-me" no cantinho direito ;)