Primeiro mês

domingo, setembro 25, 2016 Ariadne 2 Comments

E um mês passou desde que chegámos a Norwich. Estou surpreendida comigo mesma; não sei o que esperava sentir, mas creio que não esperava isto. Sinto-me como se não tivesse mudado de país, como se não estivesse numa cidade estranha, com uma língua diferente da minha, a começar do zero. Porque isto foi um começar do zero. País, cidade, casa, trabalho, sem carro, burocracias diferentes, praticamente sem amigos. No entanto, é o já ter amigos cá que facilitou em muito. Já ter alguém que conhece a cidade, alguém com quem estar ao fim de semana para além de nós mesmos, alguém que sabe o que tem de ser feito, onde tem de ser feito e o que custa, fez com que esta aventura não começasse mal. O facto de eu já ter vindo com contrato também tirou um grande peso de cima, pelo menos de um de nós; o D* passou uma semana em stress, mas também arranjou logo trabalho.

Não posso dizer que tenhamos tido dificuldades. Apesar de ter vindo sem trabalho, o D* arranjou emprego na área dele numa semana, o que é mesmo muito bom. No primeiro mês ficámos a partilhar casa com uma portuguesa e não tivémos de dar depósito, o que ajudou bastante nas contas, e ficámos perto de tudo. Abrimos conta, eu fiz logo o pedido para o National Insurance Number (já chegou, por isso já pago impostos cá), começámos a trabalhar. A malta com quem trabalhamos é porreira, as pessoas na cidade são simpáticas, e não sentimos ainda uma ponta de preconceito por sermos estrangeiros. Norwich é uma cidade com muita diversidade cultural; suponho que seja por isso que fomos bem acolhidos. 


Só mais para a terceira semana de Agosto é que comecei a sentir algum stress, mas ainda sem entrar em pânico, porque o mês naquela casa estava a acabar e não tínhamos sítio onde viver; os nossos amigos ofereceram-nos a casa e a rapariga com quem estávamos a partilhar a casa também nos ofereceu o quarto dela pelo menos durante mais uns dias caso precisassemos. Felizmente, não foi necessário, porque encontrámos um apartamento de dois quartos mesmo na última semana. Esta parte já custou mais um bocado, especialmente por causa do senhorio. O senhorio é uma empresa e nós fizémos contrato de aluguer através de uma agência imobiliária (totalmente aconselhável e mais seguro). O D* viu a casa, fez a application, no mesmo dia à hora de almoço ligaram-nos da agência a dizer que tínhamos passado e que precisavam de um depósito no próprio dia para assegurar a casa e que não fosse mostrada a mais ninguém. No dia seguinte, a empresa que gere o apartamento, pediu-nos o dinheiro do primeiro depósito mais primeira renda por volta do meio dia para serem pagos nesse mesmo dia. O quê?! Não é que não tivessemos o dinheiro, mas tinha de ser transferido de Portugal, o que demora algum tempo, tempo que não tínhamos, para além de que só tínhamos visto o mail às 18h (alguém trabalha...). Começámos a entrar um bocado em pânico, os nossos amigos aconselharam-nos a mandar email à empresa a explicar a situação, e assim fizémos. Bom, encortando a história, pagámos tudo a tempo. 

A casa tem dois quartos, duas casas de banho, cozinha e um armário no corredor; duas camas, mesas de cabeceira, sofá, mesa de cozinha com três cadeiras, fogão, frigorífico tipo mini bar sem congelador e máquina de lavar roupa que felizmente tem máquina de secar incorporada. E está, não tinha mais nada, nem roupeiros, nem congelador, louças, nada, rien de rien. Escusado será dizer que tivémos de comprar muita coisa. Microondas, louças, talheres, almofadas, lençóis, duvet, copos, mimámo-nos com um processador e liquidificadora da Kenwood (promoção fantástica), guarda fatos. Falta-nos comprar um frigorífico grande e comprámos um colchão; fizémos este investimento de bom gosto, porque é algo que podemos levar para qualquer casa que estivermos. 

Vamos falar de gastos? Casa com dois quartos, centro da cidade, contas incluídas – despesas de água, luz, internet (que ainda não temos), council tax (que é o imposto sobre imóveis, mas cá paga-se todos os meses): £1000/mês (o depósito foi o mesmo valor). Fees da agência imobiliária: £450. Equipar a casa: deve estar perto das £700 (o colchão foi £339), para não falar com gastos com comida, que são £50/semana. Como vou de autocarro para o trabalho, o bilhete mensal custa £63. Comemos fora uma vez por semana, pelo menos, dá cerca de £20/casal/vez.
Mesmo com esta despesa tão grande com a casa, que honestamente eu já estava à espera, não posso dizer que tenhamos tido dificuldades. Vínhamos com bom pé de meia dado pela nossa família, já tínhamos os primeiros salários, passeamos e comemos fora algumas vezes, temos amigos cá; a única coisa chata é não termos internet em casa ainda. 

Honestamente, eu gosto muito da cidade onde vivo. Adoro passear pelas ruas, ver a diversidade de lojas, ver os edifícios, estar descansada. Ainda não tive ansiedade, não me sinto deslocada, triste (a saudade logo bate e vai bater forte). Comunico bem, percebo bem, trato bem de tudo e não me deixei enganar ainda (uma das agências a que fomos tentou enganar-me numa casa). 

Para já, posso dizer que foi a decisão certa.

2 comentários :

  1. Que bom ler que uso está a correr bem :)
    Espero que consigam o que falta é que voltem a ter net para te ter mais presente na minhas vida.

    Um mega mega beijinho cheia de saudades tuas

    ResponderEliminar

Partilhem a vossa história comigo. Todos os comentários serão respondidos nesta página, por isso toca de selecionar a opção "Notificar-me" no cantinho direito ;)