Vida farmacêutica por terras de Sua Majestade

quarta-feira, março 08, 2017 Ariadne 0 Comments

Para terem verdadeira noção do trabalho farmacêutico em Inglaterra, preciso de vos explicar as várias funções das pessoas que trabalham numa farmácia e como funciona o processo de dispensa de uma receita. Vou apenas explicar as funções, não as qualificações de cada um.

A receita chega à farmácia, quer nas mãos do doente ou eletronicamente enviada pelo médico, e dá-se início ao processo de dispensa. Através do programa informático, é inserida na ficha do doente os dados da receita, os medicamentos que estão naquela receita com as respetivas quantidades e posologias. São impressas etiquetas com o nome do medicamento, a quantidade, a posologia, frases de aviso (por exemplo, "Este medicamento causa sonolência"), o nome do doente e a morada da farmácia que dispensou o medicamento. São também impressas etiquetas com possíveis interações e a morada e nome do doente para depois selar o saco de papel onde a medicação vai. 
Depois das etiquetas impressas e da receita imprimida, a medicação é recolhida e as respetivas etiquetas colocadas. Tanto receita como medicação e etiquetas para os sacos são colocados num pequeno cesto/tabuleiro e vão para o farmacêutico para serem conferidos. 
O farmacêutico faz dois tipos de conferência: clinical check & accuracy check. O Clinical Check (CC) é para certificar que aquela medicação é adequada para aquela pessoa e para a condição que foi prescrita; se algo não for adequado, fala-se com o doente ou então diretamente com o médico (sim, cá fala-se com os médicos para esclarecer dúvidas ou sugerir alternativas). O Accuracy Check (AC) é para certificar que o medicamento que está na receita é o que está à nossa frente e que está tudo de acordo com as indicações na receita. Tudo conferido, tudo certo, coloca-se no saco com a etiqueta com os dados do doente e está pronto a ser entregue com as respetivas indicações.


Cá temos o dispenser, o accuracy check technician, o healthcare adviser e o pharmacist. O Dispenser é quem prepara a medicação, basicamente, quem dispensa a receita. O Accuracy Check Technician (ACT) pode fazer o AC da receita, mas apenas se o farmacêutico já fez o CC previamente; o ACT é uma mais valia para a empresa porque alivia muito do trabalho do farmacêutico especialmente em farmácias em que existe um volume muito grande de receitas para conferir. O Healthcare Adviser faz todo um aconselhamento em OTCs, ou seja, aquele aconselhamento normal de medicação de venda livre para condições menores: azia, constipação, dores de cabeça, etc. O farmacêutico é o 'boss': confere receitas, conversa com os doentes, providencia serviços como revisão de medicação e consultas sobre utilização de novos medicamentos, vacina contra a gripe/meningite, faz consultas do viajante, aconselha, ajuda no treino de novos healthcare adviser e dispensers, mantém um controlo rígido nos psicotrópicos, supervisiona o consumo de metadona e buprenorfina (substituição de droga).

Sim, há uma pressão enorme no farmacêutico, especialmente em alcançar objetivos/targets. É esperado que o farmacêutico seja capaz de providenciar toda uma gama de serviços, ao mesmo tempo que mantém a conferência de receitas em dia, mantém a farmácia organizada, mantenha o conhecimento em dia e tenha tempo disponível para quem o chamar. Há dias em que trabalho das 8h30 às 18h30 e o dia não parece ser grande o suficiente. Há certas equipas que têm tanto stress e presssão em cima que isso transmite para quem está em redor; eu tento adotar outra perspetiva - tentar fazer o melhor posssível, no tempo disponível e há sempre o dia de amanhã. 

Até agora, posso dizer que estou a gostar do desafio. Estou a aprender formas novas de trabalhar, conhecer uma nova cultura, estou a ganhar mais, estou a crescer como farmacêutica, estou a ser respeitada no meu trabalho, estou a fazer aquilo para o qual estudei. Não estou simplesmente atrás de um balcão a vender caixinhas. Nem todos os dias são bons; há dias maus e há dias secantes, mas a maior parte dos dias sinto que o meu trabalho vale a pena. 

Eu não trabalho numa só farmácia. O meu trabalho é cobrir horários. Vou a diferentes farmácias durante a semana, mas o trabalho está tão formatado, tão bem estruturado que apesar de lidar com equipas diferentes quase todos os dias, todos temos um standard e guidelines e trabalhamos bem. Trabalho com pessoas impecáveis e a minha manager é fantástica; qualquer dúvida, qualquer problema seja no trabalho seja em aspetos mais pessoais como a procura de casa, ela está sempre disponível para me ajudar. Vou ter a minha avaliação daqui a dias e vamos discutir os próximos seis meses, o que quero alcançar e objetivos a longo prazo. 

Trabalhar em Inglaterra é algo que despoleta muitas dúvidas. Colegas de curso com quem nunca falei antes já me mandaram emails a pedir informações. Estou disponível para responder a qualquer questão. Basta mandar email que eu respondo assim que possível - ariadneminos.blog@gmail.com
Mega conselho: informem-se antes de tomarem a decisão de trabalhar fora do país, poupem muito e despachem-se. Com esta história do Brexit, não se sabe como vão ser as coisas daqui a um ano e pouco.

0 comentários :

Partilhem a vossa história comigo. Todos os comentários serão respondidos nesta página, por isso toca de selecionar a opção "Notificar-me" no cantinho direito ;)